AF&LBN: Fairy Day ♥ Monólogo sobre fadas e a Fada da minha vida

15:24:00




Oi 🌺
Tudo bem com vocês?

Hoje vim trazer a postagem do mês da Alternative Fashion & Lifestyle Blog Network <3 Eu não tive condições de fazer nenhuma postagem depois de março ;-; o que me deixou bastante chateada. Mas estou voltando (tentando, pelo menos) e não deixaria a postagem de junho para trás <3 (mesmo que já esteja acabando)

O tema desse mês é o International Fairy Day



Quando vi que esse foi o tema escolhido fiquei bem feliz, mas após a euforia não consegui pensar em nada para escrever >: Eu fiz alguns artesanatos nesses últimos tempos e pensei seriamente em postar algo como um tutorial, ou sugestões de decoração com itens feitos por mim... Mas acabei descartando a ideia por causa do acumulo de trabalhos .-. (quem mandou deixar tudo pra última hora? Hein? haha)

Então hoje, enquanto saía para comprar o almoço, resolvi que escreveria sobre a minha relação com as fadas e com uma Fada em especial ♥
Sigam-me os bons! *saltita*



Eu era uma criança"estranha". Eu já contei diversas vezes aqui que eu era muito apegada aos livros e eles sempre me influenciaram muito. Eu não descartava nada, tudo era possível, e era isso me tornava estranha. Quando falam em seres misticos, o que me vinha (e ainda vem) a mente é: Unicórnios, Elfos e Fadas. Eu sempre acreditei neles, afinal, existe tanto mistério no mundo que é totalmente possível que eles existam. E isso me despertava infinitas "paixões" por desenhos e livros que traziam seres mágicos.
Uma das minhas paixões era Peter Pan, exatamente porque existiam fadas na Terra do Nunca. Eu não amava a Sininho, achava a personalidade dela muito chata, mas ela ser uma fada já fazia eu gostar um pouquinho mais dela. Eu brigava com qualquer criança que ousasse dizer que fadas não existem, e depois ficava o dia todo repetindo mentalmente "Eu acredito em Fadas", porque se eu demonstrasse fé nelas, talvez a descrença dos outros não afetassem suas saúdes. Eu vivia no meu próprio mundo, e isso tornava tudo mais colorido.
Me lembro que imitava algumas cenas dos filmes, e até mesmo acreditava que um dia a minha Fada Madrinha viria me presentear com vestidos de princesa e roupas de super heróis (sim, super heróis, porque não?! hahahaha). Eu dizia que, quando eu conseguisse me libertar da maldição de ser um humano comum, eu seria uma Fada que controlava os ventos.

Mas entre todas as minhas teorias e paixões sobre fadas, a mais forte e concreta que tive até hoje, foi o nascimento da MINHA fada. A minha família tinha uma cadelinha chamada Petra que sempre que tinha filhotinhos, todos morriam. Lembro da luta e da quantidade de vitaminas que minha mãe deu pra ela quando descobrimos que ela estava esperando filhotinhos, nós realmente queríamos muito que eles vivessem mais que algumas horas. Minha mãe tratou ela com uma filha todo o tempo de gestação e logo chegou o grande dia... Nasceram 12 bebezinhos!!!
Meus pais disseram que poderíamos escolher um filhote de cada. Meu irmão escolheu o primeiro a nascer, que roubava o leite dos seus irmãos, era amarelo com branco e tinha cara de "pidão", ganhou o nome Tomas. E a segunda a nascer foi uma cadelinha... Quando eu olhei pra ela, não tive dúvida entre nenhum(a) outro(a) filhote. Era a coisa mais fofa que eu tinha visto na vida, parecia uma bolinha de pelo e, com o passar dos dias, ficava ainda mais encantadora. Quando fui escolher o nome, sabia que ela seria a minha fada, e a chamei de Fadinha.


Fadinha atualmente.
(ela mandou dizer que sente muito, mas a protegida dela não sabe editar fotos sem ficar uma confusão de brilhos infinitos)


Eu vestia ela com vestidinhos rosa cheios de frufru, andava de balanço com ela no colo, brincava de bailarina e dizia que ela era a super heroína canina da cidade. Brincava com ela usando tinta têmpera e as patinhas coloridas ficavam na casa toda, enlouquecendo a minha mãe. Ela me esperava chegar da escola e quando eu tentava levar ela pra passear, ela simplesmente se deitava e esperava eu desistir e ir pegar ela no colo. Ela não gosta de barulho, de vento na cara, e  muito menos de poeira (ela espirra muito). Durante a soneca da tarde, sempre tem pesadelos... Quando os tem de noite, acaba me acordando, pois dorme quase embaixo da janela do meu quarto. Ela "toma" café comigo, sentadinha ao lado da minha cadeira e fica do meu lado no portão, até eu pegar a van pra faculdade. Também me dá "beijos" de bom dia, e odeia ser ignorada. Ela adora essa temporada, pois come bergamota comigo o dia todo. Ela não gosta de fotos! Esfrega o focinho no chão e cobre com as patinhas sempre que me vê com o celular ou a câmera na mão. Quando está com medo, se esconde embaixo das minhas pernas, ou pula pra cima de mim (acho que ela ainda não percebeu que está enorme).
Ela esteve em todos o bons momentos comigo, e ficou quietinha todas as vezes que eu precisei chorar abraçada nela. E hoje em dia, é a primeira a me procurar ou a choramingar se eu me atraso.
Vai dizer que ela não é a minha Fada Madrinha?!

Fadinha, com alguns meses de vida.

É, eu não saberia escrever sobre Fadas, sem ser sobre a minha Fadinha :P
Eu espero que tenham gostado <3
Até o/

You Might Also Like

4 comentários

  1. que amor, adorei o post. "eu seria uma Fada que controlava os ventos." é um dos elementos que mais gosto. e a Fadinha uma fofura, a minha Chiquinha parece um pouco com a Fadinha, principalmente o focinho e as orelhas. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi :D Obrigada <3 a fadinha é um amor, a sua Chiquinha também deve ser ><
      ar é meu elemento favorito ~voa~ haha
      Beijão :*

      Excluir
  2. Que fofa a sua Fadinha *o*~ Só falta ela te trazer burando e cosplays, hihihi. x3
    Tenha um ótimo fairy day!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem me dera se ela fizesse isso :v hahahaha no máximo come minha comida :v -q
      Obrigada! Beijão

      Excluir

Like us on Facebook