Cesto de escrita - De Janeiro à Março

02:01:00




Oi! Hoje vim estrear uma 'tag' meio água com açúcar, mas na minha opinião bem interessante. Eu estava avaliando algumas coisas que escrevi nos últimos meses, e achei algumas coisas bem legais. Então, por causa da falta de postagens sobre escrita aqui no Café (que originalmente, deveria ser um blog de escrita), resolvi tocar tudo num mesmo ''cesto'' e postar aqui para vocês!
Tem umas frases bem bobinhas no meio... Mas foram importantes no momento, então merecem estar aqui xD

Vamos em frente?




14/02/2015

Oceanos de Medo

Hoje, mesmo com mente madura, me pego sentindo o medo que tanto me afligiu no passado. Se não posso lhe dar o meu carinho, temo nunca mais te ver. A tantos e tantos dias, horas, minutos e segundos sem lhe ver, sem lhe sorrir e sem direcionar-lhe meus simples versos de admiração. Admiração mútua, talvez? Quem saberá?!
E se passo, então, a lhe ver, temo não me querer. Como no passado, quando você me atingiu dolorosamente com uma porção de palavras duras. E um tanto cruéis, se queres saber a verdade.
E esses medos, tão profundos, infinitos em meu íntimo ser, não se diferenciam do mar. Como ondas, que vem e vão, levam e trazem meus sentimentos de amor. E, por isso, temo o medo que me assombra, que prende minha coragem... E medrosa, desisto, me desfaço e paro de lutar. De novo. E de novo. Sufocando por culpa desse medo de amar; De viver; De ser.
Um oceano inteiro de medo, que não vejo o fim. Que não vejo a ti.


Leticia Horn.


24/03/2015

''Sou meio negra.
Sou meio branca.
Também sou meio colorida.
E se quer saber,
Não entendo quem se importa:
Com o peso do corpo
Com a cor dos olhos
E com a cor da pele.
Não podemos ser apenas mulheres?
Afinal, quem se importa com a 'casca',
Se queremos mesmo é ser LIVRES?!''


Leticia Horn.


13/02/2015

Vivemos em um mundo em que ninguém presta atenção naqueles que estão em sua volta. Muito menos no que tem dentro de si próprios.
Mas que absurdo! Quem se importaria com tantas besteiras?
Pois, para o nosso mundo, o que importa é o que está por fora... O que é material, o que exibem para os outros e o que pregam em seus altares.
E o pecado é não pecar.


Leticia Horn.


24/03/2015

Se algum dia mandarem eu me descrever, certamente, vou dizer que sou aquilo que transborda. E sim, talvez, ou não: transbordar é algo ruim.
Transbordar é ser confuso em essência. Se não transbordar é certeza (ou talvez medo). Se transbordar é porque você não soube quando parar, desligar ou suspender.
Transbordar é exagero, mas também é entrega.
Eu transbordo flores, pois mais flores não cabem em mim. Mas mais quero ser. Sou flor em excesso.
Eu transbordo amor, pois o amor do mundo inteiro não cabe em mim. Mas mais amor quero sentir. Sou amor em excesso ou entregue ao amor?
Transbordo querer, pois quero você. Mas querer-te é tão errado, que peço para isso parar. Não quero transbordar por você, porque no fim os 'eus' se juntam: O transbordar amor abraça o transbordar querer e todos transbordam você.
Você, só você. Transbordando o bem e o mal de um sentimento sem controle. Entrega e vazão conflitam com a razão, e se tornam tão densos; Infinitos e, as vezes, tristes como a solidão.
Eu transbordo você em meu ser... Eu sou o transbordamento.


Leticia Horn.


-

Tcharam! O que acharam?
Eu sou feliz com críticas positivas...
Ah, por favor, se vocês quiserem postar em algum outro lugar esses textos/frases/trechos não esqueçam de pôr os créditos PELAMORDEDEUS! É muito ruim não ter reconhecimento, então vamos ajudar os escritores, por favor.

Ficou muita escrita pra trás nesses últimos meses... Mas eu pretendo modifica-las e postar separadamente aqui :D
Então, muito obrigada por ler <3


-


A ilustração hoje foi retirada do Tumblr Vanilla Tree e está super recomendado, se você procura ilustrações simples e cheias de fofuras!

Conheça mais: clique para ampliar


You Might Also Like

0 comentários

Like us on Facebook